“Cada pessoa tem a sua historia. - Cada pessoa tem uma familia. - Cada familia tem origems. - Você não é apenas o que você imagina que é!"


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Bento Xavier Paes de Barros (Bento Xavier de Barros) e familia

Um cartão postal de 1904

.....do bisavô de Tiffany, B. Xavier Paes de Barros ao filho Victor Franz Xavier de Barros (avô de Tiffany) no colegio em Melk.

textos atuatlizados 28 de Janeiro 2014

 
cartão por Bento Xavier Paes de Barros à seu filho Victor de Barros
o qual estudou no colegio de Abadia de Melk, perto de Vienna, Austria. 
O "blihete Postal" foi enviado no dia 24 de Janeiro 1904 
e parece arrivou em Melk no dia 10 de febraio.
Assinatura B.Xavier





Bento Xavier Paes de Barros, bisavô de Tiffany
filho do Barão de Tatui e Gertrudes de Aguiar Barros.

Biogràfia 
     segundo o DICCIONARIO BIBLIOGRAPHICO BRAZILEIRO,
sétimo volume, RIO DE JANEIRO 1902 
pelo Doutro Augusto Victorino Alves Sacramento Blake, natural da Bahia)

" Xavier de Barros é como se assigna hoje, é filho do Barão de Tatuhy, e nascido em S. Paulo a 19 de abril de 1859, fez com o nome de Bento Xavier Paes de Barros o curso e recebeu o grâo de doutor em medicina na faculdade do Rio de Janeiro. Foi inspector geral de hygiene e é medico legista da policia no estado de seu nascimento. 

B.Xavier de Barros Escreveu:

- Embryotomia: these apresentada e sustentada perante a Faculdade de medicina do Rio de Janeiro para obter o grão de doutor, etc. Rio de Janeiro, 1884, {0-4". 406 XA }

- Apontamentos para a pratica da medicina legal para uso dos estudantes e autoridades policiaes, ornados com seis gravuras. "


mémorias na familia de Tiffany e de alguns primos no Brasil:

Bento Xavier Paes de Barros, bisavô de Tiffany nasceu em 19 de Abril 1859 em Sorocaba SP. Estudou medicina no Rio de Janeiro e foi médico legista na policia de São Paulo. Escriveu tambem poesias. Entre ca.1886-1892 esteve em Vienna, Áustria, talvez por estudos ou muito provavelmente pela "Sociedade Promotora de Immigração de São Paulo" fundada por fazendeiros do Estado de São Paulo, entre eles tambem o seu pai, o Barão de Tatui, tios, primos e parentes.

Em Vienna B. Xavier conheceu a sua primeira esposa Emma Florentina Maria von Körmendy bisavó de Tiffany, nascida 2 de outobre 1862 em Pinkafö, reino Austro-Hungarico, a qual o acompanhou  na volta para São Paulo em ca. 1891/92 onde casaram no dia 23 de Julho 1892 em Santa Efigenia. (copia do documento no archivo de Tiffany).

Em Vienna nasceram os seus primeiros dois filhosLuiz Bento de Barros, em1887 Victor Franz Xavier de Barros, avô de Tiffany em 1888. Depois a volta no Brasil nasceu em 1893 no Rio de Janeiro o terceiro filho, Paolo Xavier de Barros. 


Entorno de 1895/96 meus bisavôs provavelmente divorciaram e Emma von Körmendy voltou na cidade de Vienna, Austria. Os seus três filhos cresceram aí. O avô de Tiffany, Victor estudou no colegio de Abadia de Melk onde o seu pai enviou o cartão postal de São Paulo em 1904. A escola é a mais antiga em Austria. Foi fundada com a Abadia do ordem de São Bento em 1140. Em Janeiro 1904 o avô de Tiffany, Victor Franz Xavier de Barros tem 15 anos. 
Viktor Franz Xavier de Barros, Wien/Vienna Austria




Stiftskirche /Abbadia e ginàsio de Melk an der Donau, Austria
Stiftskirche /Abbadia e ginàsio de Melk an der Donau, Austria
em ca 1900
Em 1900 o Dr. med Bento Xavier (Paes) de Barros foi diretor do Istituto Medico Legal do Estado de Sao Paulo. (segundo o Manual tecnico para medicos legistas do Estado de Sao Paulo)

B. Xavier Paes de Barros casou em segundas núpcias com Anna Maria Luiza Dauer, filha de imigrantes alemães. Seu pai veio da Saxônia, da cidade de Nebra, e sua mãe era do Holstein. Ela faleceu em 1956 na Fazenda Araras, que fica há 13 quilometros da cidade de Araras. 
O Barao de Tatui comprou esta fazenda que pertenceu ao Barão de Itapetininga, que foi o primeiro esposo de Cerina Sousa e Castro, a 2a esposa do Barao de Tatui. 
Com Maria Luiza Dauer B.Xavier Paes de Barros tive outros filhos: Tito, Afonso, Maria, Beatriz e Waldemar, Ana Rosa e outros.

Infelizmente o bisavô de Tiffany Bento Xavier Paes de Barros ficou cego desde ca. 1929 e assim passou os últimos 15 anos de sua vida. Quando o tio-avô de Tiffany Paulo Xavier de Barros mudou no Brasil em ca. 1919/1920 onde estou com o seu pai, ele jà escriveu ao seu irmão Victor na Suiça, que o pai deveria opérar os olhos poque tive a catarata..(cartas no archivio de Tiffany)

O tio-bisavô de Tiffany Francisco Xavier Paes de Barros, irmão de Bento Xavier, foi advogado e foi casado com sua prima Francisca. Parece que foram pais de 4 filhos: Gertrudes, Raphaela, Ana Rosa e Francisco Xavier. 


outro tio-bisavô de Tiffany Otavio Paes de Barros nâo foi casado, diz um primo, mas encontrei em um anuario genealogio brasileiro que foi casado com Dna Maria do Carmo Sampaio de Mesquita e este nome se pode ler também no obito do Barâo de Tatui, no Correio Paulistano do 7 de dezembre 1914. Leia mais em  Barão de Tatuí, falecimento.


Quando o trisavô de Tiffany, o Barão de Tatuí  faleceu em 1914, a fazenda em Araras ficou para seus filhos: Bento Xavier, Francisco e Otávio, porém alguns anos mais tarde em 1933, novos sócios foram admitidos devido à grande crise de 1929. As cartas do Dr. Bento Xavier e do tio-avô Paulo escritas à Victor na Suiça (no archivio de Tiffany) referam destes sócios. Um deles foi o Dr. Renato de Barros Ehrhart, marido de Ana Rosa Paes de Barros, sobrinha do Dr. Bento Xavier, filha do avogado Francisco Xavier Paes de Barros, irmão do Dr. Bento). 
Em esta epoca quase todos os fazendeiros de café ficaram muito endividados e inúmeros trabalhadores rurais foram morar nas cidades. Bento Xavier também ficou endividado, mas não arruinado, e assim viveu, cego e sem poder exercer a medicina, entre 1929 e 1945, quando faleceu. Foram alguns dos seus filhos, Tito e talvez Affonso morar na fazenda em Araras por algum tempo.
Ambos, o pai, Barâo de Tatuí e o filho Bento Xavier, estão enterrados com outros parentes no jazigo de familia do Barao de Tatui no Cemitério da Consolação, o mais antigo da cidade de São Paulo. clique  para ver JAZIGOS familia barâo de Tatui.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Todo este mar he de agua dulce - 1502

O MUNDO em 1502


"Carta da navigar per le Isole nouam tr[ovate] in le parte de l'India: dono Alberto Cantino al S. Duca Hercole"

Carta náutica das ilhas novamente descobertas na região da Índia: dado por Alberto Cantino ao Sr. duque Hercule


Todo este mar he de agua dulce: o lago de Maracaiba - està escrito a esquerda ao lado de linha de Tordesilhas.

O planisfério de Cantino é, na verdade, uma cópia de uma carta de grandes dimensões, baseada no chamado padrão real, que pendia na sala das cartas na Casa da Guiné e da Mina, em Lisboa, órgão que administrava a exploração e a colonização dos novos territórios.

Existe a hipótese de que Alberto Cantino haja subornado um cartógrafo português ou um ilustrador italiano para que lhe tenha feito uma cópia. De acordo com a historiografia em História do Brasil, ele pagou pela cópia doze ducados de ouro, tendo obtido lucro ao remeter a carta a Ercole I d’Este, duque de Ferrara e Modena por quem era ambassador a corte em Lisboa.,

1502, o ano de realização desta cópia. Está estabelecido com segurança, a partir de uma carta do próprio Cantino, datada de 19 de novembro desse ano, endereçada ao duque de Ferrara, na qual menciona que a carta se encontra com um de seus agentes em Gênova.

A carta apresenta, em particular, um trecho da costa brasileira, descoberto em abril de 1500 pela armada de Pedro Álvares Cabral - que acreditou, corretamente, ter alcançado um novo continente -, depois explorado por Gonçalo Coelho e Américo Vespúcio.

A região está representada por grandes árvores verdes e douradas, por arbustos azuis e por papagaios com a cor vermelha predominando.
Conserva-se, atualmente, na Biblioteca Estense, em Módena, na Itália
Se esta carta pode ajudar os italianos em seu conhecimento do mundo, por lhes revelar muitos territórios até então desconhecidos para eles, ela ficou obsoleta já nos meses seguintes, face às contínuas observações cartográficas das viagens portuguesas. Não obstante, a sua importância no intercâmbio de informações comerciais ítalo-portuguesas não deve ser completamente negligenciada, uma vez que esta carta deu aos italianos o conhecimento da existência do litoral do Brasil e de uma parcela expressiva do litoral atlântico da América do Sul com uma antecipação bastante grande sobre as demais nações europeias, permitindo-lhe usufruir de vantagens comerciais.

fonte: biblioteca Estense, e Wikipedia

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

TOBIAS DE AGUIAR - Arte Tumular - 149 - Igreja da Ordem Terceira de S.Francisco, São Paulo

os Cimiterios são como um livro de historia. 
Temos a descobrir !



tumulo de Rafael Tobias de Aguiar, cunhado dos meus 4° s avôs:




Tumulo de Marquesa de Santos, esposa do Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar


Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar, irmão de 
1. Rosa de Aguiar que foi casada com o Capitão Chico de Sorocaba, Francisco Xavier Paes de Barros, (ambos 4°s avós de Tiffany) pais do Barão de Tatui, Francisco Xavier Paes de Barros filho, 

2. de Leonarda de Aguiar, que foi casada com Bento Paes de Barros, 1° Barão de Itu, irmão do Capitão Chico (Leonarda e Bento tambem 4°s avós de Tiffany). Leonarda de Aguiar e Bento Paes de Barros foram pais de Gertrudes de Aguiar Barros que casou com o seu primo, o Barão de Tatui.

Rafael Tobias de Aguiar casou com a Marquesa de Santos, Domitilia de Castro e Canto, em 14 de Junho 1842 no oratorio particular de sua mãe em Sorocaba,sendo o senador padre Diogo Antonio Feijó e Francisco Xavier de Barros o Chico de Sorocaba, seu futuro cunhado, testemunhos.


No dia 20 de junho 1842, após choques com a tropa legalista chefiada pelo brigadeiro Caxias, que entrou vitorioso em Sorocaba, Rafael Tobias de Aguiar fugiu para o Rio Grande do Sul, onde foi preso em novembro. No mês seguinte, doente, foi levado para o Rio de Janeiro, onde ficou preso na Fortaleza da Laje até 1844, ano da concessão de anistia geral aos implicados na revolta.


Continuou a militar na política até os 63 anos, quando faleceu a bordo do navio Piratininga na baía de Guanabara. Dezenove dias depois, seu corpo foi enterrado, embalsamado, na Igreja da Ordem Terceira de São Francisco,São Paulo, fraternidade da qual era membro. 


Rafael Tobias de Aguiar e Domitilia tiveram seis filhos: 
Rafael Tobias filho, Joao Tobias (que casou com Anna Barros de Aguiar, sua prima, filha de Bento Paes de Barros,1° Barao de Itu e Leonarda de Aguiar), Brasilico de Aguiar e Castro, Heitor de Aguiar e Castro, Gertrudes de Aguiar e Castro.

Obrigada Helio
(link 
Fotografias)

domingo, 29 de julho de 2012

Africa - berço de toda humanidade

Como  menzionada em postagem " Paes de Barros tambem descendentes do Pharao egipcio" os antecendentes dos Paes de Barros podem haver raizes egipcias. 
Não tem provas por isso e naturalmente é só uma divertida osservação na cronica de minhas pesquisas!


Mas....,
existe a teoria de que na evolução a que se chama hominização, o homem surgiu em África. Do Australopitecos, Homo Habilis, Homo Erectus, Homo Sapiens e Homo Sapiens Sapiens, essa evoluçao deu-se em África e só depois a humanidade se espalhou pelos outros continentes. O Homo Erectus foi o primeiro a atravessar mares e a mudar de continente. 

A questão é se a nossa espécie, Homo sapiens sapiens, tem a mesma origem geográfica que ainda não pôde ser esclarecida. No entanto, um número crescente de fatos aponta que até mesmo os primeiros seres humanos modernos se originaram na África e se espalhou para o mundo inteiro.


Tem inumeros locais no mundo que podem ser considerados berço da humanidade, segundo o ponto de vista arqueologico, o berço da humanidade pode ter sido na Africa face as descobertas de fósseis. Tanto na África do Sul  como no Grande Vale do Rift, entre o Quénia e a Etiópia, foram encontrados restos de hominídeos - e do próprio género Homo - datados em vários milhões de anos e as de hominídeos são incidentes dessa região.

Uma grande variedade de causas é o plano de fundo funcional deste desenvolvimento sem precedentes. Suas etapas mais importantes foram as mudanças induzidas pelo clima, nas dietas, o desenvolvimento de um eficiente, contínuo andar ereto, o aumento do cérebro e o potencial intelectual,
treinamento de força, de vida social e da fabricação de ferramentas intencional como o início o desenvolvimento de um crescimento exponencial cultural, incluindo os efeitos  na disposição biológica.

Martin Paetsch em GEO escrive:

"A África é o berço de muitas formas humanas, inclusive da mais jovem, à qual nós próprios pertencemos: o anatomicamente moderno Homo sapiens. Durante milênios ele viveu apenas na vastidão africana, mas há 60.000 anos, alguns grupos desses hominídeos partiram a fim de descobrir outros continentes.
OUTRO PARENTE DO HOMEM MODERNO conseguiu sobreviver por mais tempo. Na ilha indonésia de Flores um outro bípede ainda vive por muito tempo, e, ao lado do Homo sapiens, parece ser uma relíquia de tempos pré-históricos. O Homo florensis, homem-de-Flores, mede apenas um metro de altura e seu cérebro é aproximadamente do tamanho do de um chimpanzé. Mas há 12.000 anos suas pistas também acabam por se dissipar.
Desde então, o Homo sapiens vive sozinho no mundo. 

Daquelas poucas centenas de migrantes que partiram da África há 60.000 anos descendem todos os povos asiáticos, europeus e americanos.
Os atuais africanos negros são descendentes daqueles representantes de Homo sapiens que, embora desenvolvessem o raciocínio moderno, não participaram do grande êxodo passado.
O povo sã também pertence ao grupo que permaneceu na África. Marcadores genéticos em seu genoma deixam supor que os sãs se desviaram muito cedo da árvore genealógica da humanidade atual e desde então viveram comparativamente como um povo completamente autônomo e separado do restante."

E aqui um VIDEO sobre a téoria que a Africa é o berço do mundo
 
Clique:
Africa - berço da humanidade on Vimeo

quinta-feira, 12 de julho de 2012

as minhas raizes


Os avós de Tiffany

Victor Franz Xavier de Barros, avô de Tiffany, nasci em 2 de Julho 1888 em Viena, Austria onde nasci tambem a esposa, Lucia Felicia Karolina Benesch Barth.
Victor Franz Xavier de Barros, neto do BARAO DE TATUI é, como dizem varias genealogias, descendente dos 10° avôs de Tiffany: Pedro Vaz de Barros e Luzia Leme, esta descendente do  23° avô de Tiffany :Willem Lem de Bruges, Bélgica.
Victor Franz Xavier de Barros faleceu em 1969 e Lucia em 1989 em Berna, Suiça.


Os bisavõs de Tiffany 


foram de Sao Paolo e tambem do impéro Austria- Hungaro.
Dr. med Bento Xavier Paes de Barros, (Itu 19. de Abril 1859- Sao Paulo 27 de Junho1945, filho do Barão de Tatui e Gertrudes de Aguiar Barros ) e a sua primeira esposa Dona Emma Florentina Maria von Körmendy Salmutter, (Pinkafö, hoje Hungria 2 de Outobre 1861- Berna, Suiça 10. de Junho 1953 ) irmã do “Husar” August Ede von Körmendy, ambos filhos de Johann Eduard von Körmendy, proprietario de fabrica com castelo em Pinkafö, hoje Hungria e Johanna Maria Salmutter.
Bento Xavier Paes de Barros estudou medicina em Rio de Janeiro e foi médico legista na policia de São Paulo. Entre 1886-1892 era em Viena Austria, onde estudou medicina forense.
Em Viena  Bento Xavier Paes de Barros conheceu a sua primeira esposa Emma a qual acompanhou seu marido em São Paulo em 1891/92.
O casal tive 3 filhos: Luiz Bento (1887), Victor Franz Xavier (1888) e Paulo Xavier (1993).
Em segundas nupcias casou-se Bento Xavier Paes de Barros com Maria Luiza Dauer, filha de imigrantes de Alemanha e teve outros 4 filhos, Afonso, Tito, Beatriz e Waldemar, os meio-irmãos do meu avô Victor Franz Xavier Paes de Barros.

Os triavôs ou 3° avôs de Tiffany foram:

o Barão de Tatui, Francisco Xavier Paes de Barros  (Sorocaba 26. de Maio1831 – São Paulo 6 de Dicembre 1914) e a sua prima e esposa Dona Gertrudes Eufrosina de Aguiar Barros.(falecida em 1878) Os pais deles foram irmâos e tambem as mães, Assim tem um dupio parentesco.
O Barão de Tatui: filho do Francisco Xavier Paes de Barros , o Capitão Chico de Sorocaba casado com Rosa de Aguiar que foi filha de Bento Paes de Barros, Barão de Itu casado com Leonarda de Aguiar.

Os triavôs de Tiffany foram tambem neto e neta do Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar, casado com a Marquesa de Santos por parentesco dos mâes, Leonarda de Aguiar e Rosa de Aguiar que foram irmães do Brigadeiro Rafael Tobias.Foram neto e neta do 1° Barão de Piracicaba, Antonio Paes de Barros, e de, Genebra de Barros Leite casada com o brigadeiro Luiz Antonio de Souza.
Os tiravôs de Tiffany foram primos do - Marques de Itu, - o 2° Barão de Piracicaba, - o Barão de Limeira. - o Barão de Souza Queiroz. - o Comendador Luiz Antonio de Souza Barros, - a Marquesa de Valença, - e os fillhos de Marquesa de Santos e o  Brigadeiro Raphael Tobias de Aguiar.

O Bãrao de Tatui foi: Bacharel em Direito pela Faculdade de São Paulo, rico fazendeiro e deputado por várias legislaturas em Sao Paulo. Foi entre os fundadores e acionistas de varias companhias de estrada de ferro. No ano de 1889, juntamente com outros aristocratas e parentes, funda com o seu parente, o Condé do Pinhal o Banco de São Paulo. 

O título de BARÃO DE TATUÍ lhe é conferido em 19 de agosto de 1879.
Tive como muitos outros seus parentes com titulo de nobreza, o brasão dos Barros, registrado em  16.2.1795– 5. Livro do Registro dos Brasoes de Armas da Nobreza de Portugal - Cartorio de Nobreza, Fol. 36.
Conta a história em São Paulo que lutou contra a construção do VIADUTO DO CHÁ porque a obra destruiria a sua casa na rua LÍBERO BADARÓ perto de atual Praça do Patriarca.
Ele morre em 6 de dezembro de 1914 em São Paulo.

Os tetra-avôs ou 4° avos de Tiffany em Brasil

- Francisco Paes de Barros, o capitão Chico de Sorocaba (?? -  ?1875) e Rosa Candida de Aguiar, , pais do Barão de Tatui e
- Bento Paes de Barros, Barão de Itu, (Itu ca. 1788- Itu 1858) irmão do capitão Chico e Leonarda e Aguiar, irmã de Rosa Candida de Aguiar, pais de Gertrudes de Barros de Aguiar, casada com o Barão de Tatui (os triavôs de Tiffany).

Francisco Xavier Paes de Barros, tambem conhecido como Capitão Chico, era comandante da Guarda Nacional e membro do Partido Liberal: participou da Revolução de 1842 ao lado do seu cunhado, o Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar, governador de S. Paulo. O Capitão Chico era irmão do Barão de Itu (Bento Paes de Barros) e do Barão de Piracicaba (Antonio Paes de Barros), homens que tiveram um papel importante no decorrer do processo de independência do Brasil, quando o Brasil se separamou de Portugal, em 1822.
Segundo consta registrado em livro próprio, o casarão que abriga o Museu de Sorocaba, foi doado pelo Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar, como dote de casamento de sua irmã Rosa Candida de Aguiar com o Capitão Chico. O casarão foi construído em 1780 e hospedou, entre outras personalidades ilustres, a Marquesa de Santos (Domitila de Castro) quando da realização de seu casamento com o Brigadeiro Tobias, em 1842.

Bento Paes de Barros, nasceu em Itu, no ano de 1788, tornando-se o primeiro Barão de Itu e um dos políticos mais influentes de seu tempo, ocupando o cargo de capitão-mor da Vila, posteriormente vindo a ser vereador; Junto com seu irmão, Antonio Paes de Barros, Barão de Piracicaba, liderou as tropas de Itu durante a Revolução Liberal de 1842 e por esse motivo foram perseguidos;
Recebeu do Imperador D. Pedro II a honraria do título de nobreza, Barão de Itu,  o primeiro a ser conferido a um ituano, em 11.10. 1848, (Decreto Registrado no Livro  VII, pag. 110, Seção Histórica do Arquivo Nacional. Tive como muitos outros seus parentes com titulo de nobreza, o brasão dos Barros, registrado em  16.2.1795– 5. Livro do Registro dos Brasoes de Armas da Nobreza de Portugal - Cartorio de Nobreza, Fol. 36.)
Faleceu em 09 de fevereiro de 1858 e seu corpo está enterrado na Capela São João de Deus da Santa Casa de Misericórdia de Itu, da qual foi um dos fundadores e primeiro Provedor;
O  sobrado que hoje abriga o Espaço Cultural Almeida Junior em Itu era a residência  do Barão de Itu na década de 1850 costruido por ele. O casarão é o mais importante assobradado dos que ainda existem, e foi também residência da Baronesa de Itu. Ele situa-se na antiga Rua Direita, por muito tempo única rua da cidade. Atualmente, o espaço Cultural Almeida Júnior sedia o Museu de Arte Sacra, o Museu e Arquivo Histórico Municipal de Itu, a Biblioteca Municipal, e é também um espaço para exposições e eventos.

Os penta-avôs ou 5° avòs de Tiffany em Brasil:

foram
 Antonio de Barros Penteado, (1742-  1820, filho de Fernão Paes de Barros, descendente do Pedro Vaz de Barros e Luzia Leme) casado em 1778 com  Maria Paula Machado em Itu.
Ele rico fazendeiro e produtor de açucar em Itu. Ela filha do cap.-mor Salvador Jorge Velho de Itu .
Com a exportação do açúcar para a Europa, Itu começava a crescer. O número de engenhos de cana e de escravos, agora vindos da África e não do sertão, multiplicavam-se. De 1785 a 1792, foram abertas mais ruas. Nessas ruas e seus prolongamentos pelo lado da Igreja do Patrocínio é que se formou, até 1865, a cidade que hoje constitui o Centro Histórico.A fase de maior crescimento da cidade foi entre 1836 e 1854. Nessa época, Itu era a vila mais rica de toda a Província, tendo (desde o início do século) importante participação na vida política e econômica. Em 1842, a vila foi elevada à condição de cidade
Foram pais de:
Genebra de Barros Leite 1. c/c Brigadeiro Luiz Antonio de Sousa (pais deo Barão de Souza Queiroz, Barão de Limeira, Baronesa de Valença, comendadro Luiz Antonio de Souza Barros, e outros ) 2. José da Costa e Carvalho, Barão de Monte Alegre, sem geraçap com o segundo marido.
2 Bento Paes de Barros, Barao de Itu c/c Leonarda de Aguiar, irmã do Brigadeiro Raphael Tobias de Aguiar (4° avôs de Tiffany)

3 Antonio Paes de Barros, 1° Barao de Piraciaba c/c Gertrudes de Aguiar, irmã do Brigadeiro Raphael Tobias de Aguiar

4 Francisco Xavier Paes de Barros, o capitão Chico de Sorocaba c/c Rosa de Aguiar, irmã do Brigadeiro Raphael Tobias de Aguiar (4° avôs de Tiffany)

5 Ana Joaquina de Barros c/c João Xavier da Costa de Aguiar, membro de influente clã santista, Era corrispondente commercial do seu sogro, Antonio de Barros Penteado. João Xavier originário de vila no bispado de Coimbra teria vindo para o Brasil em companhia da mãe e dois irmãos. Capitão de Milícias foi também o primeiro administrador em Santos das duas linhas de correio criadas na vila em 1798 e, que a ligavam ao Rio e São Paulo, parece irmão do coronel Francisco Xavier da Costa Aguiar.

6 Escholastica Joaquina Paes de Barros c/c Dr. Miguel Antonio de Azevedo Veiga, ouvidor géral que, de acordo com registros do historiador ituano Francisco Nardy Filho, combatia o tráfico e o cativeiro de índios, o que contrariava os interesses de grupos dominantes da época.

7 Angela Ribeiro de Cerqueira c/c  José Manuel de Mesquita, negociante de escravos do Oeste Paulista

8 Joaquim Floriano de Barros c/c sua sobrinha Eliza Guilhermina de Mesquita, filha de sua irmã Angela Ribeiro de Cerqueira

9 Maria de Barros Leite c/c com um seu parente Francisco de Paula Sousa e Mello, que era eleito deputado às Constituintes de Lisboa e do Brasil, deputado geral nas 1.ª 2.ª e 3.ª legislaturas, ocupando na 1.ª o cargo de presidente; foi senador do império, ministro e conselheiro de estado. Faleceu em 1851.

Coronel Francisco Antonio de Aguiar, 5° avô de Tiffany (ca. 1758 Sorocaba - 15.4.1818)Foi arrematador de diversos impostos em Sorocaba. Assim amealhou consedéravel patrimonio ao longo de sua vida. Como cobrador de novo imposto, entao colocado por Antonio da Silva Prado, entretiveram alcunos conflitos sobre os procedimentos de essa arredacao. Foi casado com Gertrudes Eufrosina Ayres 5a avó de Tiffany (ca. 1775-1846), filha do tenente Coronel Paulino Ayres de Aguirre e Anna Maria de Oliveira Leme (6°s avós de Tiffany). 

Foram pais de:
1 Brigadeiro Raphael Tobias de Aguiar casado com a Marquesa de Santos, Domitila de Castro e Canto

2 Anna de Aguiar (2a esposa do cap. Chico, Francisco Xavier Paes de Barros)

3 Gertrudes Eufrosina casada com o futuro barao de Piracicaba, Antonio Paes de Barros (4° tio-avô de Tiffany)

4 Leonarda de Aguiar casada com Bento Paes de Barros, barão de Itu, (ver supra) 4°s avós de Tiffany.


5 Rosa de Aguiar primeira esposa do Cap. Chico, Francisco Xavier Paes de Barros,(ver supra) 4°s avós de Tiffany.

Com as quatro irmãs de Rafael Tobias Franciso Antonio de Aguiar tive uma notavel iniciativa para estabelecer uma solida aliança com a familia Paes de Barros, natural de Itu, grande produtora de acùgar: Rosa casou com Francisco Xaver Paes de Barros, o Chico de Sorocaba. Quando ela faleceu, Anna a outra irmã casou-se com o mesmo Francisco Xaver Paes de Barros, o Chico de Sorocaba. 
Outra irmã, Getrudes Eufrosinia casou com Antonio Paes de Barros, primerio barão de Piracicaba e irmao de Francisco Xavier e Leonarda, ultima irmã do brigadeiro casou-se com outro irmao de Francisco Xavier, o Barão de Itu, Bento Paes de Barros.

Caso notavél e estrategias claras para consolidaçao de importantes laços familiares e comerciais.
Isso é o meu tronco dos Paes de Barros e Aguiar em São Paulo. Estou muito interressada em trocar informações sobre toda a minha gente e entao descobrir novos parentes e mais de historia para recuperar a memoria de essa importante familia em São Paulo.
Abraços

sábado, 19 de maio de 2012

Barão de Piracicaba Antonio Paes de Barros e Gertrudes Eufrosina de Aguiar, casamento paroquial




"Antonio Paes de Barros com
Gertrudes Eufrosina de Aguiar"
Aos vintenove de Junho do miloitocentos e dezenove anos no oratorio de/da Donna Gertrudes
Eufrosina Ayres..... ......................Rafa
el Tobias de Aguiar e Bento Paes de Barros solteiros......testemunhosde……………………Antonio Paes de Barros natural da Villa
de Itu, filho legitimo do capitao Antonio de Barros Penteado e da Donna Maria
Paula,……por parte paterna de Fernando Paes de Barros, natural de Araçiguarama,
e de Angela Ribeiro Leite, natural da Cidade de Sao Paulo; com Donna Gertrudes
Eufrosina de Aguiar, natural desta Villa, filha do Coronel Antonio Francisco de Aguiar
Aguiar e de Donna Gertrudes Eufrosina de Aires, naturais desta Villa, neta por parte
Paterna de Jeronimo de Almeida de Abreo/u e de Leonarda Maria de Menezes…..por parte
Materna do Coronel Paulino Ayres de Aguiar, natural de Sao Sebastiao e de Donna………
Anna Maria de Oliveira…natural desta Villa.............................’neto por parte Materna de Salvatore Jorge Velho e de Genebra Maria.Machado………………"
 a esquerda a assinatura de testemunho  Bento Paes de Barros, barão de Itu, o meu 4° avô, cunhado de Rafael Tobias porque casou com a irmã dele: Leonarda de Aguiar.
a direita a assinatura do testemunho Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar,   irmão de Leonarda de Aguiar (acima), Gertrudes Eufrozina de Aguiar (esposa do Barao de Piracicaba, Antonio Paes de Barros) como tambem de Rosa de Aguiar que foi casada com o meu outro 4° avô, Francisco Xavier Paes de Barros, o capitão Chico de Sorocaba em 2° nupcias. Ele tambem irmã do Barao de Itu e do Barao de Piracicaba..... a primeira esposa de Fransisco Xavier de Barros foi tambem uma irmã dos Aguiar: Ana de Aguiar que faleceu sem geraçao.
(o Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar casou em dia 14 de Junho 1842 com a Marquesa de Santos, Domitilia de Castro e Canto. Testemunho foi Francisco Xavier Paes de Barros).
3 irmãos Paes de Barros casados com 4 irmães de Aguiar.

Uma bela salada de parentesco...!!!

sexta-feira, 20 de abril de 2012

PELO DIA DOS INDIOS



 Conhecer o passado de nossos antepassados Indios e trasmitir a sua cultura:

- para entender o presente
- para refletir pelos ações do futuro
- pelo respeito deles que são os nossos parentes,
- pelo respeito para nós mesmo e
- pelo respeito para quem vem depois.

Voz dos Indios que vem da historia:

 Escriveu Pedro Taques de Almeida Paes Leme (1714-177) em  
"Nobiliarquia Paulistana Histórica e Geneal'ogica -
Tomo III, Pedrosos, Barros, Vazes"

.......Estes dois irmãos Antonio Pedroso e Pedro Vaz de Barros eram naturais do reino do Algarve, donde passaram a ser moradores de Llisboa...... O capitão-mor governador Pedro Vaz de Nbarros faleceu com testamento em 1644. Foi casado com d. Luzia Leme. Tevem oito filhos naturais de São Paulo:.......

1-2 Antônio Pedroso de Barros, bandeirante, filho de Pedro Vaz de Barros e de Luzia Leme..
Antonio Pedroso de Barros, faleceu em 1652 com testamento. Foi potentado pelo número de 600 índios que possuía nas suas fazendas de cultura. Em 1637 tomou parte em uma bandeira destinada ao Rio Grande do Sul, chefiada por Francisco Bueno, e em 1641 em uma outra que foi destroçada em Mbororé, pequeno arroio da margem direita do Rio Uruguai. Regressando em maio de 1652 de bandeira nas regiões sulinas, onde aprisionou índios carijós e guaianás, morreu assassinado,…….. 
Teve c. a esposa Maria Pires de Medeiros os legitimos: Pedro Vaz de Barros, Antônio e Inês Pedroso de Barros e Luzia Leme de Barros. 
Teve, também: Sebastiana e Paula (filhos de Maria Pequena), Pascoal (filho da índia Vitorina) e Ventura (filho da índia Iria).

Perguntado pelo algodão mencionado no testamento, respondeu que:
"na revolta queimara, furtara e espalhara o gentio, de maneira que nada dele se aproveitou".
Perguntado pelos nomes dos índios para serem lançados no inventário, e partilhados pelos herdeiros, respondeu:
"ser impossível nomeá-los porque ainda não tinham nomes de batismo e sim selvagens, e que sendo eles carijós e goyanazes com seus caciques, não quiseram se reunir, e se levantaram fugindo muitos para o mato"

seu filho: 2-1. Pedro Vaz de Barros. Neto, filho de Antonio Pedroso de Barros acimo. por volta de 1645 em S. Paulo (SP). Herdeiro de grande fortuna, foi um dos maiores potentados de seu tempo. Como sertanista, é encontrado em 1667 seguindo, possivelmente, na vanguarda de Lourenço Castanho Taques, o Velho, cujo grosso da bandeira partiu em princípios de 1668 para o sertão dos índios cataguases, à procura de ouro. Foi casado com  Maria Leite de Mesquita. Pentavós do Dr. Prudente José de Moraes Barros, Presidente da República do Brasil de 1894 a 1898.
sua filha: 2-4.  Luzia Leme de Barros foi casada com Manoel de Campos Bicudo que possuiu grandes cabedais, numerosa escravatura e muitos índios que aprisionou no sertão e que conservava sob sua administração.
  

1 - 4, Pedro Vaz de Barros filho,(mesmo nome do seu pai), que foi fundador e padroeiro da capela Sao Roque, cognominado Grande, chamando-se-lhe assim pelo idioma brasilico: Pedro Vaz Guassú 
........Mas sem o interesse do serviço dos indios, não teriam feito os paulistas tão dilatadas e pasmosas jornadas pelo sertão, que ocasionaram os descobrimentos que hoje estão povoados. 
...... Não casou Pedro Vaz de Barros, mas teve varios filhos bastardos, havidos em diversas mulheres, que por todos foram nove, que são os seguintes: Braz Leme de Barros, Joanna, que casou com João da Silva Ferreira, e Maria, todos havidos em Justina, mulher memeluca (em São Paulo, assim chamam as que são netas de india de quatro costados com homem branco); Isabel, havida em Catharina, Lourença, havida em Theresa; Margarida, havida em Rufina; Marianna, havida em Maria; Paschoa, e Leonor, ambas havidas em Barbara, com tudo consta do inventario do capitão Pedo Vaz de Barros, que faleceu com testamento, a 30 de Agosto de 1676 (Cartorio de orfão da vila de Parnaiba, inventarios, n 396, o do capitâo Pedro Vaz de Barros.




“La historia de estos hombres y mujeres que nos precedieron, esta metida en nuestra sangre y nuestra educacion mucho mas fuertemente de lo que podemos pensar, dejandonos mucho .

- Podemos luchar por conservar esa herencia, mantenerla y transmitirla, si la creemos buena. 

- Podemos luchar por arrancarnosla de la piel, enterrarla y olvidarla, si no nos gusta. 

- Lo que no podemos hacer es ignorarla, porque eso nos quitaria libertad de elegir, convirtiendonos es juguetes de genes y costumbres sin saberlo. 

- Sigamos buscando, porque es buscar dentro de nostros mismos.”
Martin Romano Garcia


Fontes citadas acima
todas fotografias da internet

terça-feira, 20 de março de 2012

Paes de Barros em Mato Grosso - Totó Paes - Antonio Paes de Barros governador do Mato Grosso


atualizado 12 de maio 2015

Paes de Barros em Mato Grosso
Totó Paes - Antonio Paes de Barros, Governador do Mato Grosso 1903-1906, casado com Ursula Angela de Oliveira (com geraçao, sobre a qual não sei muito) e assasinado o 6 de lulho 1906 - talvez membro dos Paes de Barros com patriarca Pedro Vaz de Barros.

" Quem foi o avô de Totó Paes ?" - assim me perguntam algumos leitores.
Totó Paes nascido em 1851, foi  filho de José Joaquim Paes de Barros e Maria Gloria Vieira de Almeida. 
 
Pesquisei muito mas, lamento que nâo se sabe quem foram os avôs e como é o parentesco com os outros Paes de Barros de Sorocaba.
Em muitos sites e blogs indiquam que Totó foi descendente dos irmãos Artur e Fernando Paes de Barros, os descobridores do Mato Grosso. Eles parecem filhos de Ignacia Paes de Barros, descendente dos patriarcas Pedro Vaz de Barros e Luzia Leme. (leia noticias sobre Artur e Fernando Paes de Barros em este blog clique aqui.)

Ascendencia
Nada descobrí sobre os avôs de Toto Paes, mas o primo Marcos (descendente  ramo de Henrique Paes de Barros) me refere que os avôs de Toto Paes foram : Antonio Paes de Barros e Maria de Campos Rondon

Ainda assim :
Joaquim José Paes de Barros sería:
filho de Antonio Paes de Barros e Maria de Campos Rondoni.
Esse primeiro Antonio Paes de Barros sería filho de Francisco de Barros Penteado que casado foi morando em Vila Boas em Goias (?).

Joaquim José Paes de Barros foi casado com Maria de Gloria Vieira (filha de ???), e fundou, no Rio Abaixo, a primeira usina açucareira do Estado: a Usina da Conceição que depois foi de João Paes de Barros, irmaõ de Totó Paes.

Joaquim José Paes de Barros foi comendador, casado com Maria Gloria Vieira de Almeida que foram pais de:
  • Totó (Antonio) Paes de Barros,
  • João Paes de Barros, *
  • Henrique Paes de Barros, *
  • José Paes de Barros.*
  • Maria Gloria Paes de Barros Almeida ??  - ( Lí em um entrevista no "Diario de Cuiabà do 09.05.2010" a mãe de Carlos Reiners era Leopoldina de Almeida Barros e que ela foi uma sobrinha de Totó Paes. Na mesma entrevista Carlos Reiners fala também de sua avó materna que foi Maria Gloria Paes de Barros Almeida.  - Em homenagem pelo seu ancestral Carlos Reiners a neta Oriana Paes de Barros nomina também o avô materno Salvador Soriano Almeida, esposo de Gloria. Ainda Maria Gloria Paes de Barros deve ser sido uma irmà de Totó Paes ou filha de uns dos irmãos??? - todos os links abaixo)
  • Joaquim Otavio, pai de Lindolfo que foi casado com Havelina Margarida da Costa Barros. Isso refere o bisneto Benjamin R. Santos no comentario em baixo.Diz que " os irmãos de Toto Paz (como assinava az vezes ) mudaram para São Lourenço de Fátima, Rodonópolis, onde aquiriram terras."
* sobre os irmãos de Toto :
A oligarquia dos coronéis Paes de Barros tem como membro mais expressivo o presidente de estado Antônio Paes de Barros. Também formada por seus irmãos os coronéis João, Henrique eJosé Paes de Barros. Antônio Paes de Barros, o Totó Paes era um rico usineiro de açúcar. Sua usina era muito bem equipada, tinha máquinas da Alemanha, onde existiu luz elétrica primeiro que em Cuiabá. Era chefe local aliado do coronel Generoso Ponce.Um fator importante dessa oligarquia é a rivalidade e a oposição entre os irmãos Totó e João, que tem como ápice o Massacre da Bacia do Garcez. fonte : http://www.seminariosociologiapolitica.ufpr.br/anais2011/2_141.pdf 
ASCENDENCIA:

Em Genealogia Paulistana de Luis Gonzaga da Silva Leme do 1904 (baseado sobre a nobilaruqia Paulistana de Pedro Taques) tem uma indicação que me parece muito interessante sobre Francisco de Barros Penteado que segundo Luis Gonzaga da Silva Leme foi o bisavô de Totó Paes.

Francisco de Barros Penteado foi irmão de José de Barros Penteado e Antonio de Barros Penteado (o meu 5° avô),
filhos de: 
  • Angela Ribeiro Leite ou tambem chamada Angela de Cerqueira e Fernão Paes de Barros, que foi filho de 
  • Manuel Correia casado com Beatriz de Barros, ela filha de 
  • Maria Leite de Mesquita e Pedro Vaz de Barros neto, o moço, que foi filhos de
  • Maria Pires de Medeiros e Antonio Pedroso de Barros* que foi filho do primeiro
  • Pedro Vaz de Barros e Luzia Leme.
* um irmão de este Antonio Pedroso de Barros foi Fernão Paes de Barros (outro com mesmo nome) que com uma crioula tem Ignacia Paes de Barros, a mãe de Artur e Fernando de Barros. Assim Artur e Fernando Paes de Barros foram 2° primos de Beatriz Paes de Barros e 
assim 2° primos de terceiro grau de Francisco, José e Antonio de Barros Penteado.

Luis Gonzaga em 1904/05, publicou a sua obra "Genealogia Paulistana". Foi o periodo que Totó Paes foi governador do Mato Grosso (1903-1906).
Urge descobrir onde Gonzaga tem encontrado os documentos para esta indicação:
Luiz Gonzaga da Silva Leme em 1905: na Genealogia Paulistana:
Cap- III, tit. Penteados. pag. 376 (link abaixo)



§ 2.º 
1-2 Capitão Fernão Paes de Barros foi morador em Parnaíba onde faleceu em 1755, e foi casado em 1731 em S. Paulo com Angela Ribeiro Leite, falecida em 1749, f.ª de Francisco Leite Ribeiro e de Maria de Cerqueira. Neste V. à pág. 112. É tradição corrente entre seus descendentes que foi o capitão Fernão Paes fiador de um espanhol que, tentando desviar o rio Tietê, no lugar denominado Rasgão, abaixo da capela de Pirapora, perdeu todo o seu trabalho comprometendo ao mesmo tempo os haveres do seu fiador deixando-o em condições precárias de fortuna. Entretanto, seus filhos se dirigiram às minas e adquiriram grande cabedal em ouro como veremos adiante. Teve: (C. O. de S. Paulo)::

2-1 ....
2-2. ....
2-3 Francisco de Barros Penteado foi moço de instrução e foi às minas com seus irmãos José de Barros e Antonio de Barros Penteado e ficou morando em Villa Boa de Goyaz, onde casou-se e deixou f.ºs.
D'este é bisneto o governador de Mato Grosso coronel Antonio Paes de Barros

2-4...
2-5
2-6
etc.etc.
Attenção:
A Genealogia Paulistana (Luis Gonzaga da Silva Leme) como também a Nobiliarquia Paulistana (Pedro Taques de Almeida Leme) e muitas outras genealogias,são documentos, escritos em varios periodos de historia e contém indicaçoes interessantes, mas a vezes não são completos ! 

A historia está sempre se renovando, sendo reescrita, sendo alimentada pela memória coletiva, e pelas versões oficiais. Acima de tudo ela nos diz muito sobre quem está no exercício do poder. Nas varias epocas de historia trasferida-nós do que tem o poder, foi usado também esquecimento, o silenciamento, o ocultamento.
Deve-se analisar - decifrar com muita cautela !

Eu não sou  genealogista e eu vivo na Europa -, distante do Brasil !
Para informaçoes mais certas sobre as ascendencias dos varios Paes de Barros é necessário encontrar tambem os registros das igrejas, dos nascimentos, baptismos, crismas, casamentos, etc.etc. e pesquisar em varios arquivios.

Ignoro a data de nascimento de José Joaquim Paes de Barros, pai de Totó
e a ascendencia de sua esposa Maria da Gloria Vieira.
Ignoro também os datos de Francisco de Barros Penteado e ignoro quem foi a sua esposa. Se ele casou em Vila Boa de Goias, deve-se descobrir a Igreja e os registros do seu casamento e talvez dos seus filhos.
Nada sei dos descendentes de Artur e Fernando Paes de Barros.


Sobre Antonio Paes de Barros "Totó Paes"

Existem muitos livros e trabalhos sobre o coronel Antonio Paes de Barros naqueles hoje se tenta analisar os motivos de assassínio do governador de Matto Grosso. Mas tem ainda muitas lacunas sobre a sua vida.

Escrive Lauro de Souza Portela, :

"O coronel da Guarda Nacional Antônio Paes de Barros foi industrial, pecuarista e latifundiário. Seus ancestrais, os irmãos sorocabanos Fernando e Arthur Paes de Barros foram, em 1734, os descobridores de ouro na Chapada de São Francisco Xavier, no “Mato Grosso”, possibilitando a expansão dos domínios portugueses mais a oeste na América.
Seu pai, Joaquim José Paes de Barros foi o primeiro usineiro de Mato Grosso a instalar uma usina a vapor em 1881, às margens do rio Cuiabá. Totó Paes, como também era conhecido, seguiu o exemplo do pai e fundou, em 1897, a Usina do Itaici – hoje, restam apenas as ruínas ostentando ainda a sua imponente chaminé, símbolo de seu poder nas adjacências.Entre 1903 e 1906 foi Presidente do estado de Mato Grosso. No dia 6 de julho de 1906, foi assassinado por uma diligência comandada por Joaquim Sulpício de Cerqueira Caldas, enviada a mando de seu inimigo mortal, Generoso Ponce, na antiga Fábrica de Pólvora do Coxipó do Ouro.... Seus descendentes foram praticamente expulsos. Sua mulher, D. Úrsula Ângela de Oliveira Paes de Barros, perdeu o direito sobre a herança do coronel – uma fortuna em terras, imóveis, principalmente a mais moderna usina da época no estado. Mudou-se junto com suas filhas para o Rio de Janeiro..A Usina do Itaici chegou a cunhar sua própria moeda, o que configura uma maneira de controlar a saída de dinheiro de seus domínios, restringindo a compra por parte de seus funcionários aos lugares circunvizinhos" Leia tudo o artigo:clique aqui


Lido no Blog de João Bosco Paes de Barros: (link abaixo)
 " Pelos anos 1890 viajou com seu irmão Henrique à São Paulo. Confraternizou-se com os parentes sorocabanos e outros, todos envolvidos na atividade cafeeira.Com a acumulação de capital que essa atividade proporcionava e sob a liderança do Comendador Souza Barros, haviam incorporado a CIA PAULISTA DE ESTRADAS DE FERRO. Em São Paulo, pelos idos do sec XIX se envolveram com os construtores da Cia Paulista de Estradas de Ferro.  " 
Na epoca entre 1870 e 1890 na região de São Paulo, um grupo de fazeindeiros e capitalistas (entre eles muitos membros do tronco dos Paes de Barros de Itu, Sorocaba e Sao Paolo,)  que possuíam propriedades rurais (café e açugar, entre outros produtos), necessitavam de um meio de escoar o café cultivado no interior do estado de São Paulo.
Entre eles tiveram ligações de parentesco e familiares e assim tambem com a vida política. Foram açonistas ou fundadores de diversas companhias de estradas de ferro.(Paulista, Sorocabana e Ituana, etc.).

Seria interessante saber mais sobre as ligaçoes com os primos em Mato Grosso que cultivam sobre tudo a cana de açugar (alcool) e gado.

 
Usina de Itaicy


Usina Itaicy, foto wikipedia
Situada a aproximadamente 40 quilômetros de Santo Antônio do Leverger, rio Cuiabá abaixo, a Usina de Itaici é um imóvel tombado como patrimônio estadual.
A Usina começou a ser edificada em 11 de junho de 1896 e terminou 14 meses depois. Estima-se que algo em torno de 1000 operários participaram da construção. O maquinário, importado da Alemanha chegou ao local por transporte fluvial. De 1900 a 1920 Itaici teve o seu período de esplendor. Chegou a abrigar uma população que registrava perto de cinco mil pessoas,

Foi o primeiro lugar de MT a ter energia elétrica e tinha uma infra-estrutura audaciosa para aqueles tempos, com farmácia, capela, escola, dezenas de casas (em estilo popular padronizado), aulas de música para as crianças e, inclusive, tinha moeda própria, cunhada ali mesmo.
Desativada - Itaici parou de produzir em 1957, mas sua decadência teve início na década de 30.

A Usina de Itaici localiza-se no município de de Santo Antônio do Leverger, e tinha por modo de produção a industrialização da cana-de-açúcar, não se caracterizou por um único e belo prédio, mas, principalmente, por ser o embrião de um processo de industrialização e de um modo de produção característico e novo para Mato Grosso. Sua construção data de 1896, em estilo eclético; atualmente encontra-se desativada e com Tombamento Histórico pela Portaria nº 55/84, D.O. 08/01/1985; a situação atual está em processo de recuperação.



Descendencia

1. Totó Paes de Barros foi casado com Ursula Angela de Oliveira. Tivem:

1.1. Alice Paes de Barros casada com Jõao Aquino Ribeiro
1.2. Ana Clara Paes de Barros 
1.3. Aida Paes de Barros
1.4. Miguel Angelo Paes de Barros do qual eu não tenho certeza.

1.5. Sebastião de Barros
Como refere o descendente Nelson Ferreira de Barros nos comentairos em baixo, 
<<Antonio "Totó" Paes de Barros tive um filho com uma trabalhadora negra da fazenda, de nome Sebastião de Barros. Sebastião excercia a função de dar a manutencão nas maquinas na usina "Itaicy".>>
2. Refere o trisneto de Totó Paes, o Felix Reiners  que 
<< Para adiantar, o meu bisavô , Karl Heinrich Reiners, nasceu em Bonn (alemanhã), veio para a américa do Sul, específicamente para construir usinas hidroelétricas na Argentina.
O projeto não deu certo, então ele foi convidado pelo Sr. Totó Paes de Barros (não sei exatamente como se conheceram), para vir ao Mato Grosso para dar continuidade ao projeto da construção das usinas que até hoje existem como pontos históricos.
Após alguns anos de trabalho, meu bisavô Karl, tinha a intenção de voltar para a Alemanha. Deveria receber em dinheiro pelas obras do Sr. Totó de Barros. Porém, foi aconselhado a não cobrar o dinheiro, pois a família Paes de Barros tinha a fama de mandar matar quem os cobrasse.
Por isso acabou ficando por aqui, recebeu terras pelos serviços prestados, e se casou com a sobrinha de Antonio Paes de Barros (que foi criada por ele como filha), Leopoldina Paes de Barros, que é a mãe de meu avô Carlos Reiners e Erna Reiners.
Dna Leopoldina, faleceu de tifo, e o Sr. Karl Heinrich, casou novamente se não me engano com uma filha de Antonio Paes de Barros (esta informação preciso levantar com mais precisão), com quem teve um outro filho chamado Florizel, que faleceu recentemente.>>  
(texto por Felix Reiners)

Carlos Reiners. "Rei do Gado". assim chamado na época da novela de mesmo nome  transmitida pela Rede Globo, isso porque chegou a acumular mais de oito mil cabeças de boi nas fazendas Pouso Lindo e Laguna.

Nasceu em 10.8.1907 e foi filho de Karl Heinrich Georg Reiners, chamado Dom Jorge, e Leopoldina de Almeida, a sobrinha de Totó Paes.

Dom Jorge Reiners  foi engenheiro mecânico, especialista na montagem de máquinas para Usina de Açúcar.
O coronel Antônio Paes de Barros era o proprietário da Usina Itaicy e adquiriu em Buenos Aires, capital da Argentina, todo o maquinário alemão do qual a firma portenha era representante. Diz Carlos Reiners:

Como nas cercanias de Cuiabá e de Mato Grosso não existia pessoal especializado para proceder à montagem da nova usina, Totó Paes pediu e conseguiu que a concessionária Argentina mandasse para Cuiabá o engenheiro Jorge Reiners para acompanhar as montagens das máquinas. E o papai chegou à Usina Itaicy no ano de 1903 com a incumbência de supervisionar a implantação e treinar pessoal que pudesse prestar assistência técnica à usina. Como a mão de obra local era fraquíssima teve que colocar a mão na massa, isto é, fazer praticamente sozinho a montagem. Habilidoso, o Coronel Totó Paes conseguiu que a permanência do papai fosse prorrogada por mais um ano e, nesse ínterim, ele não resistiu aos encantos de minha mãe, sobrinha de Totó. E logo estava casado com minha mãe D. Leopoldina de Almeida Reiners.

Carlos Reiners e Leopoldina de Almeida tivem 3 filhos:
  • José
  • Carlos
  • Ema 
José faleceu em infancia de tifo e também a mãe Leopoldina no 1948. Carlos e sua irmã Ema foram criados pela avò Maria Gloria e pela tia e madrinha Ana Maria de Almeida Pompeo, casada com João Batista Pompeo.

Casou Carlos Reiners  em ca. 1931 
1° com Antonieta Texeiro Ribeiro e em 1951 
2° com Benedita Serafina Carvalho.
Ao todo, são 14 filhos, frutos de seus dois casamentos.

Viveu sua infância na Fazenda Ponta do Morro, aos cuidados - até assumir sua própria vida- , de sua Avó, Maria da Glória Paes de Barros Almeida, pois sua mãe faleceu quanto ainda estava com um ano e oito meses de idade. 

Aos 7 anos, com o falecimento de seu Avô Salvador Soriano de Almeida, mudou-se com a Avó para a casa de Dom Jorge, que vivia na Fazenda Corixo.
Trabalhou como boiadeiro, comprador de gado e outras atividades.
Dessa maneira, construiu seu Patrimônio e sua Família, da qual tem grande e óbvio orgulho.

Faleceu com 102 anos , pouco antes do seu 103 aniversario em dia 25.6.2010.
Leia toda a entrevista com Carlos Reiners no (clique) Diario de Cuiabà.


MUITO OBRIGADA 
FELIX, MARCOS,
BENJAMIN E NELSON !


Fontes pesquisadas na internet e em parte citadas em este artigo:

- ADAUTO ALENCAR " Coronel Antonio Paes de Barros, Roteiro genealogico e projeção politico"


- Genealogia Paulistana, pag. 376, Tit. Penteado, Volume 3.
http://www.arvore.net.br/Paulistana/Penteados_1.htm 


- historia de Mato Grosso
http://pt.scribd.com/doc/29608147/Historia-de-Mato-Grosso 


- ASPECTOS HISTÓRICOS E POLÍTICOS DA EXPANSÃO DOS PÓLOS
AGROINDUSTRIAIS DA CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE MATO GROSSO, BRASIL

http://www.sober.org.br/palestra/15/1286.pdf

-Revoluções e Reviravoltas: as Elites Mato-Grossenses na Primeira
República, Larissa Vacari

http://www.seminariosociologiapolitica.ufpr.br/anais2011/2_141.pdf


-AS REPRESENTAÇÕES SOBRE ANTÔNIO PAES DE BARROS, Larissa Vacari
http://www.congressohistoriajatai.org/2011/anais2011/link%2081.pdf

- apontamentos sobre o comércio de gado e as ferrovias em São Paulo (1869/1909)
http://www.historica.arquivoestado.sp.gov.br/materias/anteriores/edicao32/materia01/

- entrevista de Evaldo de Barros no Diario de Cuiabà com Carlos Reiners , descendente de Toto Paes: